Resgate 24 horas em todo território nacional. +55 44 9155-7195

21 fatos sobre o alcoolismo que você não conhecia

A maioria das pessoas bebe álcool e as que bebem mais conseguem bebê-lo com moderação. No entanto, existe uma minoria que sofre de alcoolismo. Aqueles que sofrem dessa condição são incapazes de controlar a quantidade de álcool que consomem e sofrem consequências negativas como resultado direto.

Se você ou um ente querido sofre de alcoolismo, existem muitos fatos relacionados a essa condição que você pode não ter considerado ou conhecido. Existem também muitos mitos e estigmas associados à doença do alcoolismo que precisam ser dissipados.

Aqui na Encontre Clínicas, acreditamos em educar as pessoas sobre os fatos do alcoolismo, fornecendo informações baseadas em evidências para que você possa fazer suas próprias escolhas informadas sobre seus hábitos de beber.

Fatos sobre alcoolismo que você precisa saber

Muitas pessoas que sofrem de alcoolismo geralmente sabem que têm problemas com o álcool. No entanto, é muito fácil enfiar a cabeça na areia em vez de enfrentar os fatos duros e frios desta doença mortal.

Os fatos sobre o alcoolismo são muito relevantes para quem sofre de alcoolismo. Os fatos sobre o alcoolismo também podem ajudar as pessoas próximas a um alcoólatra a compreender melhor a natureza da condição de seus entes queridos. 

Fatos importantes sobre alcoolismo

Alcoolismo fato nº 1 – O alcoolismo não é uma escolha

O alcoolismo não é uma questão de escolha ou falta de vontade. No mínimo, aqueles que sofrem de alcoolismo podem exercer uma tremenda força de vontade quando se trata de obter e beber álcool. O alcoolismo é uma doença cerebral crônica e progressiva caracterizada por compulsão e continuação, apesar das consequências negativas. É clinicamente reconhecido em todo o mundo como uma doença e não uma escolha

Alcoolismo fato nº 2 – O alcoolismo está na extremidade grave do espectro dos transtornos relacionados ao uso de álcool

Em maio de 2013, a 5ª edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) alterou a terminologia para condições relacionadas ao alcoolismo. A edição anterior reconheceu apenas dois distúrbios alcoólicos distintos – abuso de álcool e dependência de álcool. A edição mais recente agora integra o abuso e a dependência do álcool em um único transtorno chamado Transtorno do Uso de Álcool (AUD) com um espectro de subclassificações para leve, moderado e grave. O alcoolismo se enquadra na subseção 

Alcoolismo fato nº 3 – O alcoolismo não tem cura, mas é tratável

Apesar de muitos acreditarem que, para se curar do alcoolismo, basta parar de beber por um tempo. A doença da dependência do álcool não tem cura de forma alguma. 

Mesmo depois de anos de abstinência do álcool, uma pessoa que sofre de alcoolismo e pega uma bebida perderá rapidamente o controle de sua bebida novamente. Isso acontece porque as vias do cérebro estão permanentemente danificadas e reconhecem rapidamente o antigo estímulo do álcool. 

O alcoolismo não tem cura, mas pode ser tratado; a recuperação é mantida por meio da abstinência contínua e da realização de terapia ou de um programa de recuperação para ajudar a evitar recaídas

Alcoolismo fato nº 4 – Alcoolismo é o vício em uma droga na forma líquida

O alcoolismo não é diferente de qualquer outro tipo de vício, como o vício em cocaína ou maconha. As consequências negativas podem diferir ligeiramente devido aos diferentes efeitos das substâncias, mas a doença da adicção, independentemente da forma que se apresenta, responde aos mesmos métodos de tratamento baseados em evidências (adaptados ao indivíduo) e à abstinência completa

Alcoolismo fato nº 5 – Os alcoólatras são submetido a beber, apesar das prováveis consequências negativas

Os alcoólatras podem aparentemente escolher beber. Sim, eles compram o álcool e o consomem, portanto, pode-se supor que o fazem por escolha própria. A verdade é que a doença do alcoolismo no cérebro obriga o usuário a beber álcool, mesmo quando está tentando se abster ou reduzir. É por isso que o vício é fortemente caracterizado por recaída e continuação, apesar das consequências negativas

Alcoolismo fato nº 6 – Em termos de tratamento para o alcoolismo, não existe um tamanho único para todos

Ao longo dos anos, reconheceu-se que as pessoas que sofrem de alcoolismo têm necessidades diferentes de tratamento. Não existe um programa de reabilitação de álcool que se adapte a todos os casos. 

Os programas de tratamento do álcool precisam consistir em terapias baseadas em evidências para funcionarem, mas agora existem muitos métodos diferentes de recuperação disponíveis. 

O que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra. Os programas de tratamento precisam ser feitos sob medida e flexíveis para dar conta disso

Alcoolismo fato nº 7As mortes específicas do álcool estão em um ponto mais alto.

O novo estudo com dados de mortalidade em 30 países das Américas – o maior do tipo realizado na região – revela como principais conclusões:

  • Uma média de 85.032 mortes (1,4% do total) anualmente foram atribuídas exclusivamente ao álcool;
  • A maioria das mortes (64,9%) ocorreu entre pessoas com menos de 60 anos;
  • As causas de morte foram principalmente por doença hepática (63,9%) e distúrbios neuropsiquiátricos (27,4%), como dependência de álcool;
  • O consumo de álcool é um fator que contribui para mais de 300 mil (5,5% do total) mortes anualmente nas Américas;
  • Mais homens do que mulheres morreram pelo consumo nocivo do álcool. Eles foram responsáveis por 83,1% das mortes exclusivamente atribuíveis ao consumo de álcool. As maiores disparidades de gênero ocorreram em El Salvador e Belize; essa diferença foi menor nos Estados Unidos e no Canadá;
  • Cerca de 80% das mortes em que o álcool foi um “fator importante” ocorreram em três dos países mais populosos: Estados Unidos (36,9%), Brasil (24,8%) e México (18,4%);

As taxas de mortalidade atribuível ao álcool foram mais altas na Nicarágua (23,2 por cada 100 mil pessoas) e na Guatemala (19 por cada 100 mil), embora esses países tenham um consumo de álcool per capita relativamente menor. referencia Opas

Alcoolismo fato nº 8 – As taxas de mortalidade devido ao alcoolismo são maiores no grupo de meia-idade a idosos

As taxas de mortalidade relacionadas especificamente ao alcoolismo em 2020 foram mais altas entre os homens na faixa etária de 55 a 59 anos e em mulheres na faixa etária de 60 a 64 anos

Alcoolismo fato nº 9 – Homens têm duas vezes mais chances de morrer de alcoolismo do que mulheres

Estatisticamente, os homens têm duas vezes mais chances de morrer de alcoolismo do que as mulheres. Levando em consideração a população e a idade, as taxas mais recentes de mortes específicas por álcool.

Alcoolismo fato nº 10 – O álcool é um depressivo e, portanto, pode causar ansiedade e depressão

Muitas pessoas pensam que bebem demais porque sofrem de ansiedade ou depressão. Até certo ponto, isso pode ser verdade, mas o consumo excessivo de álcool causa ansiedade e depressão e apenas exacerba doenças mentais pré-existentes. 

Além disso, beber muito e em excesso anula quaisquer benefícios que os medicamentos antidepressivos possam ter a oferecer. O álcool também altera a forma como outros medicamentos são metabolizados, por isso os antibióticos são menos eficazes 

Alcoolismo fato nº 11 – O álcool compromete seu sistema imunológico

O álcool diminui o sistema imunológico por pelo menos 24 horas após o consumo. Ele também desvia outros órgãos do trabalho eficiente. Beber excessivamente regularmente pode deixar uma pessoa vulnerável a todos os tipos de doenças. 

A dependência do álcool no alcoolismo faz com que o sistema imunológico seja constantemente suprimido, pois o álcool nunca sai totalmente do sistema. Pacientes alcoólatras são muito mais suscetíveis a uma infecção ou vírus que pode progredir para sepse ou pneumonia. 

Devido aos antibióticos funcionarem de forma menos eficiente, suas chances de uma recuperação completa são reduzidas ou, pelo menos, retardadas

Alcoolismo fato nº 12 – O alcoolismo está relacionado a 7 tipos específicos de câncer

O alcoolismo coloca você em alto risco de 7 cânceres relacionados ao álcool. Seguir as diretrizes de consumo seguro dos diretores médicos de 14 unidades por semana reduz substancialmente o risco. 

O consumo excessivo de álcool tem sido diretamente relacionado a 7 tipos de câncer, que são: câncer de boca, câncer de faringe (garganta superior), câncer de esôfago (tubo de alimentação), câncer de laringe (caixa de voz), câncer de mama, câncer de intestino e câncer de fígado 

Alcoolismo fato nº 13 – O consumo excessivo de álcool faz com que o álcool permaneça no seu sistema por mais tempo

Um fígado humano saudável pode processar uma unidade de álcool por hora. No entanto, quando uma pessoa bebe em excesso ou há uma presença contínua de álcool em sua corrente sanguínea, o fígado funciona com menos eficiência, pois se esforça para metabolizar um bloqueio traseiro de unidades alcoólicas. 

Isso significa que o consumo excessivo de álcool pode fazer com que uma pessoa ainda esteja acima do limite legal para dirigir até o dia seguinte, dependendo da quantidade de álcool que consumiu, seus níveis de hidratação, idade, IMC, medicamentos que está tomando e a saúde de seus fígado

Fato sobre alcoolismo nº 14 – Desmaios alcoólicos acontecem com mais frequência em quem sofre de alcoolismo

Os apagões alcoólicos tendem a acontecer com mais frequência e de forma mais extensa em uma pessoa que sofre de alcoolismo. Um estudo descobriu que a probabilidade de uma pessoa sofrer um apagão alcoólico é de cerca de 50% quando o teor de álcool no sangue chega a 0,22%. 

Quanto maior o teor de álcool no sangue, mais prejudicada é a memória. Isso acontece quando o álcool suprime o sistema límbico do cérebro (parte do cérebro responsável por armazenar novas memórias). 

Em uma pessoa que sofre de alcoolismo, eles correm um risco maior de sofrer não apenas apagões regulares relacionados ao álcool, mas também perda de memória prejudicada a longo prazo 

Fato sobre alcoolismo nº 15 – A negação do álcool é um problema cognitivo não baseado no ego

A negação do álcool é uma coisa real. Muitos membros da família podem pensar que uma pessoa com alcoolismo opta por não aceitar que tem um problema com álcool para continuar a beber ou por ego. 

Em alguns casos, isso pode ser verdade até certo ponto, mas o uso excessivo de álcool afeta e danifica o córtex pré-frontal (parte do cérebro responsável pelo processamento de informações e capacidade cognitiva). Isso pode levar à perda de memória, perda de perspectiva e negação de um problema.

Fato sobre alcoolismo nº 16 – Álcool combinado com medicamentos prescritos pelo SNC pode causar morte

Misturar álcool com medicamentos de prescrição depressores do sistema nervoso central pode facilmente levar à overdose e à morte. O álcool é um depressor do SNC; misturá-lo com um ou mais medicamentos depressores do SNC é uma receita para o desastre. 

Medicamentos depressores do SNC, incluindo benzodiazepínicos, comprimidos para dormir, também são altamente aditivos. Levar álcool com eles frequentemente pode levar a um vício duplo, onde as chances de overdose e insuficiência cardíaca / respiratória são muito reais

Fato sobre alcoolismo nº 17 – A síndrome do alcoolismo é uma condição real

Parar de beber é apenas o começo no longo caminho para a recuperação do alcoolismo. Se uma pessoa que sofre de alcoolismo não faz tratamento para lidar com os problemas que impulsionam seu consumo de álcool e não aprende métodos mais saudáveis de lidar com as emoções, é muito provável que se sinta infeliz, irritada e geralmente insatisfeita com a vida. 

Eles ainda continuarão a ter problemas cognitivos e comportamentais que permitiram que bebessem, em vez de aprender novos valores e estratégias de enfrentamento para permitir uma recuperação completa

Alcoolismo fato nº 18 – O alcoolismo é uma doença progressiva

O alcoolismo é classificado não apenas como uma doença crônica, mas também como uma doença progressiva do cérebro. Isso significa que, com o tempo, uma pessoa que sofre de alcoolismo só vai piorar progressivamente. 

Um alcoólatra terá tolerância ao álcool, o que significa que precisará beber quantidades cada vez maiores e com mais frequência para sentir os efeitos desejados do álcool.

 Quanto mais eles bebem e quanto mais tempo a doença do alcoolismo pode continuar ativamente, mais danos são causados ao cérebro e outros órgãos

Alcoolismo fato nº 19 – A abstinência do álcool pode ser fatal

Quando um alcoólatra lhe diz que não pode parar de beber abruptamente porque não é seguro, ele está lhe dizendo a verdade. Isso não é apenas uma desculpa para continuar bebendo.

 A abstinência alcoólica de uma dependência de álcool moderada a grave pode causar sintomas de abstinência, que se não forem tratados clinicamente, podem se tornar fatais. 

Os sintomas de abstinência do álcool, como taquicardia, dor no peito, delirium tremens, confusão grave, convulsões, alucinações, psicose e ideação suicida, podem levar à morte. 

A maneira mais segura de parar de beber quando sofre de dependência de álcool é submeter-se a uma completa desintoxicação medicamentosa de álcool

Fato sobre alcoolismo nº 20 – Os alcoólatras não são pessoas más, são pessoas doentes

Os alcoólatras podem fazer coisas ruins de vez em quando, às vezes na maior parte do tempo. É importante lembrar que eles não estão apenas intoxicados, mas movidos por uma compulsão que está além de seu controle. 

Isso não significa que seus erros não devam ser contestados ou que eles não devam sofrer as consequências de seu hábito de beber. Na verdade, sentir as consequências é uma parte muito importante para um alcoólatra chegar a um ponto de submissão e pedir ajuda. 

Se você ama um alcoólatra, é importante não capacitá-lo e orientá-lo continuamente em busca de ajuda profissional, assim como faria se ele sofresse de alguma outra doença, como diabetes ou asma

Alcoolismo fato nº 21 – A recuperação do alcoolismo pode ser uma jornada muito bonita e emocionante. Não precisa ser entediante ou uma tarefa árdua.

Muitos que sofrem de alcoolismo não conseguem imaginar uma vida sem álcool. Eles acham que a vida será entediante, monótona e repetitiva. 

Embora isso seja verdade para aqueles que não passam por reabilitação e não têm acesso a suporte contínuo, para aqueles que o fazem, a vida pode assumir um novo significado. 

Eles podem encontrar um propósito que nunca tiveram antes, podem aprender a amar a si mesmos e ter relacionamentos saudáveis com os outros. Eles podem continuar em uma jornada de crescimento e descoberta pessoal que é emocionante, enriquecedora, não conhece limites e é infinita.

 É por isso que o acesso ao tratamento correto do álcool é muito importante para a recuperação da qualidade de vida do alcoólatra.

21 fatos sobre o alcoolismo que você não conhecia
Encontre as melhores clínica de recuperação para alcoolismo em todo Brasil

Ajuda para o alcoolismo

Como você pode ver pelos fatos acima relacionados ao alcoolismo, o alcoolismo é uma doença muito sinistra e mortal.

Ter acesso à ajuda correta para um problema de álcool pode realmente ser a diferença entre a vida e a morte.

Aqui estão as algumas clínicas de recuperação para tratamento de vícios e bem-estar comportamental. Nós da Encontre Clínicas de Reabilitação especializamos no tratamento de todas as formas de transtornos por uso de álcool e suas doenças comuns concomitantes.

Nossos programas de tratamento são totalmente personalizados, dependendo das necessidades individuais de tratamento de nossos clientes.

Se você ou um ente querido tem problemas com álcool e deseja ajuda profissional, ligue para nossa equipe aqui no Grupo Encontre Clínicas. Nossos especialistas em tratamento contra a dependência fornecerão uma avaliação confidencial e gratuita e aconselharão exatamente como podemos ajudar

Referencias

Opas, organização Pan-americana da Saúde

Compare listings

Comparar