Resgate 24 horas em todo território nacional.

A dura realidade de uma pessoa Viciada em Crack

A dura realidade de uma pessoa Viciada em Crack. Uma realidade que você não deseja nem para o seu pior inimigo, Encontre Tratamento Adequado.

Se o assunto é drogas, pode ter certeza que não é um tema muito leve, entretanto todos nós, ainda mais nos tempos modernos sabemos da periculosidade dessas substâncias, todavia você sabe a dura realidade de uma pessoa viciada em crack? 

Um subproduto da cocaína que lota as clínicas de recuperação e que conjuntamente está com cada vez mais usuários no Brasil, o crack é uma droga barata e que tem os efeitos parecidos com a cocaína, mas que são potencializados devido a maneira que é utilizada a substância.

Além do mais, pelo modo de uso, chega mais rapidamente ao SNC e a sensação é intensificada, porém seu efeito passa mais rapidamente, o que faz com que o usuário da substância recorra novamente à próxima dose com muito mais frequência em relação a outras drogas, por exemplo.

Partindo dessa premissa, o crack em síntese é devastador. E infelizmente, o Brasil é um dos maiores mercados da substância na América Latina e conjuntamente uma notícia infeliz, é o maior consumidor de crack. Podemos afirmar que quando chegou, o crack veio pra ficar.

Como uma droga poderosa, barata e de fácil acesso nas ruas, qualquer pessoa que faça o consumo de uma pedra de crack, tem altas chances de recaída na substância, justamente pela sua potência e pela sua atuação no sistema de recompensa no cérebro. É prazer na certa, é um orgasmo cerebral.

Só que tudo na vida tem seu preço, o custo do crack é muito alto. Custando a vida da pessoa, mas não no sentido de uma overdose, levando a morte, já que raramente pessoas tem overdose de crack, mas normalmente indivíduos viciados no crack, abandonam tudo em prol da substância.

Filhos, família, emprego, dignidade, estabilidade financeira, projetos vão por água abaixo. O preço é altíssimo e para se ter uma noção, muitas pessoas, se não tem o tratamento adequado, vão paras as ruas, e aí a coisa piora e muito. 

Uma realidade que você não deseja nem para o seu pior inimigo

Imagina acordar, tomar café da manhã, ir para o trabalho, almoçar, voltar para casa, jantar com a família, dormir e fazer tudo de novo até chegar o final de semana. Coisas rotineiras, mas para quem é viciado na substância é praticamente impossível conseguir, e se a pessoa está na rua, é uma situação lamentável. É uma realidade que você não deseja nem para o seu pior inimigo, traz pena e dor no coração.

A dura realidade de uma pessoa viciada em crack não envolve nada do que falamos anteriormente. Envolve todos os métodos possíveis e inimagináveis para conseguir o sustento da próxima dose, independentemente dos métodos.

Sejam pequenos furtos, revirar lixo, se prostituir, negociar a própria vida em situações delicadas, se envolver com pessoas perigosas e às vezes a pessoa chega a cometer crimes sérios como assaltos à mão armada para poder sustentar o vício e se manter nas ruas. 

O crack é coisa séria! É um perigo geral para quem usa, para quem vende e nas redondezas onde se estabelecem os usuários. A cracolândia por exemplo, lugar que já faz aniversário de anos e décadas, é problema do dever público resolver. E adivinha só, é muito difícil a solução, porque a droga é devastadora.

Além do mais, famílias que têm parentes que são usuários da droga, normalmente já estão acostumadas com o processo de reinternação dos dependentes em clínicas de recuperação para dependentes químicos, porque a potência no cérebro da falta da droga é muito grande.

É triste a dura realidade de uma pessoa viciada em crack, e principalmente da família. Ainda bem que existem as clínicas de recuperação e centros de tratamento para pessoas que sofrem da dependência da droga, e mais uma questão, dificilmente um indivíduo viciado em crack, vence a dependência sem o processo de internação, verdadeiramente é uma realidade que você não deseja nem para o seu pior inimigo.

Um oceano de comorbidades que podem surgir em decorrência do abuso da droga

Para quem não sabe o termo comorbidade significa a doença da doença. São doenças que surgem em decorrência de outras doenças. No caso da dura realidade de uma pessoa viciada em crack, como a droga é muito forte e faz com que o indivíduo recorra várias vezes a próxima dose, ele sustenta o ciclo de uso alterando a química cerebral e isso gera um oceano de comorbidades que podem surgir em decorrência do abuso da droga.

É comum que pessoas que são usuárias de crack e que acabam por chegar em situação de rua, por ser insustentável conviver com seus familiares tenham comorbidades sérias como depressão e ansiedade crônica como a TAG.

Além do mais transtornos de depressivos crônicos, em casos que a pessoa por estar na situação de rua, ao ter um luz de realidade e sobriedade e ver a sua situação chega até pensar em suicídio. Então, é comum que se recorra à próxima dose. A miséria moral que os usuários enfrentam é dolorosa, muitos ficam tão fragilizados e em uma situação extrema que acabam por se prostituir seja para comer, seja para próxima dose, o que faz com que muitos tenham HIV como comorbidade da dependência do crack.

Portanto, graças aos estudos provenientes por ONGS, ONU e grandes Universidades é possível mudar essa realidade, mas com medidas altamente invasivas e de políticas públicas de desenvolvimento social, entretanto trazendo para parte que é pertinente a nossa matéria, vale ressaltar que é possível impedir que um oceano de comorbidades que podem surgir em decorrência do abuso da droga realizando o procedimento de internação.

Internação para pacientes de crack como meio de transformar a vida de quem sofre

A dura realidade de uma pessoa viciada em crack é passível de mudança ao realizar o procedimento de internação para pacientes de crack como meio de transformar a vida de quem sofre do abuso da substância. Não é um procedimento simples, porque muitas das vezes a internação deve ser feita pelo método de internação involuntária.

Posto isso, vale ressaltar que é importante escolher bem a clínica de recuperação adequada para a realização da internação e fazer o procedimento. Esse ato, salva a vida de quem está dentro do processo de vício na substância e evita que um oceano de comorbidades que podem surgir em decorrência do abuso da droga aparecem ao longo do processo de uso, então, entre em contato conosco.

Compare listings

Comparar