Resgate 24 horas em todo território nacional. +55 44 9155-7195

Alcoólatra com transtorno de ansiedade. Como ajudar?

Quando se vê um Alcoólatra com transtorno de ansiedade, a atenção precisa ser redobrada! Sabe por quê? Saiba onde encontrar ajuda imediata !

Você convive com um Alcoólatra com transtorno de ansiedade em seu círculo social – seja cônjuge, família, ou amigo? É muito importante prestar atenção em todos os sinais que possam vir a aparecer!

O alcoolismo é uma doença como qualquer outra, que manifesta sintomas, tem fases de piora (as ditas recaídas) e precisa de diagnóstico médico e de tratamento.

Mas, quando se vê um Alcoólatra com transtorno de ansiedade, a atenção precisa ser redobrada! Sabe por quê?

A ingestão de grandes quantidades de bebida alcoólica pode “acalmar” a ansiedade, e isso faz com que o Alcoólatra com transtorno de ansiedade queira beber “além da conta” para obter um estado de calmaria e tranquilidade.

Por isso é tão importante estar de olho em todos os sintomas que possam vir a aparecer!

Sabendo que a situação está presente, como ajudar o paciente? Confira muitas dicas neste artigo, que podem ser aplicadas no dia a dia!

Antes de tudo, identifique os sintomas!

Como saber que o alcoolismo está relacionado com a ansiedade? Alguns sintomas relacionados à ansiedade são:

  • Queixa de palpitação, que significa que os batimentos cardíacos estão acelerados;
  • Medo de enfrentar situações do dia a dia, como pegar ônibus ou metrô;
  • Cansaço constante, mesmo após uma noite de sono;
  • Insônia;
  • Tremores e palidez;
  • Irritabilidade sem motivos;
  • Comportamento agressivo;
  • Melhora dos sintomas ao beber;
  • Consumo de bebida alcoólica antes de enfrentar qualquer situação estressante, na tentativa de “se acalmar”;

Entre outros.

Quando houver qualquer sintoma “agudo”, que não havia aparecido antes, buscar atendimento emergencial pode ser uma boa opção.

Por exemplo: se o alcoólatra começa a convulsionar, isso pode significar dano neurológico, e merece investigação. Este sintoma não está relacionado diretamente com a ansiedade, mas é um bom exemplo!

Quando o quadro é constante e vem piorando, agendar uma consulta com um psiquiatra é extremamente necessário, para que se avalie o quadro e a sua gravidade. Casos severos podem requerer a internação em uma clínica de recuperação para alcoólatra.

Ofereça apoio

Quem é dependente químico ou alcoólatra se acostuma a receber críticas o tempo todo.

Oferecer apoio é uma maneira de “conquistar a confiança” do doente.

Ficar por perto do alcoólatra faz com que ele tenha motivos para melhorar, e tenha com quem contar no caso de recaídas.

Além do mais, a companhia e a vigilância são imprescindíveis para a melhora do alcoólatra!

Quando a ansiedade está presente, demonstrar apoio é ainda mais importante, visto que o medo pode ser amenizado com a sua companhia – e, consequentemente, isso reduzirá a necessidade de beber.

Porém, muito cuidado!

O apoio que um familiar ou amigo demonstra não substitui a necessidade da ajuda profissional. Quando o alcoolismo existe, é imprescindível que se tenha acompanhamento médico e psicológico.

E diga-se mais: o Alcoólatra com transtorno de ansiedade pode ser uma combinação fatal, necessitando de ajuda médica imediata. Afinal, a vida do paciente pode estar em risco!

Quem está ao lado do paciente o tempo todo também merece passar por terapia, para aprender a “lidar” com a situação e a conduzir qualquer dificuldade que possa vir a aparecer no meio do caminho!

Agende uma consulta médica

“Pegando um gancho” do que foi dito anteriormente, buscar o psiquiatra é uma maneira extremamente eficaz (e única) de ajudar o alcoólatra que sofre de transtorno de ansiedade.

Isso por que:

  • Será realizada uma avaliação da gravidade do caso;
  • O médico irá identificar se a ansiedade, de fato, existe;
  • Medicamentos serão prescritos;
  • Será avaliada a necessidade de internação em clínica de reabilitação para alcoólatra;
  • É uma maneira de entender o quanto o alcoólatra reconhece que seu distúrbio é grave, e o que está disposto a fazer para melhorar.

Entre outras coisas.

Infelizmente, pode ser difícil convencer o paciente a buscar ajuda médica.

Nestes casos, o acompanhante pode comparecer a consulta em um primeiro momento, e o médico orientará sobre como abordar o doente.

Percebe a importância de ter a orientação profissional? Ela é imprescindível, e pode prevenir eventuais pioras do quadro.

Auxilie no tratamento

Medicamentos foram prescritos? Será necessário ir à terapia? Acompanhe-o em todos estes momentos!

Muitas vezes pode ser difícil para o alcoólatra lembrar-se do horário das medicações ou mesmo de seus compromissos médicos.

Esteja ao lado em todos estes momentos, e preste apoio sempre que necessário.

Também é importante ter cuidado para que não seja ingerido qualquer tipo de bebida alcoólica juntamente ou logo após o uso de medicamentos, visto que esta interação pode ser fatal.

Perceba as recaídas

O acompanhamento constante permite que sejam notadas quaisquer recaídas ou indícios de piora do vício.

Esteja atento a qualquer sinal de alerta:

  • Aumento da quantidade de álcool ingerida;
  • Aumento da tolerância;
  • Existência de qualquer sintoma sugestivo de ansiedade (conforme mencionado anteriormente);
  • Agressividade;
  • Incapacidade de responder por si;
  • Dificuldade em executar as tarefas do dia a dia;
  • Má adesão ao tratamento;

E assim por diante.

Nestes casos, deverá ser avaliada a concomitância de alcoolismo e ansiedade, bem como a necessidade de internação em clínica de recuperação para alcóolatras.

Aceite a necessidade de internar

Muitos familiares costumam negar e/ou postergar o tratamento hospitalar ou a internação, o que é um erro.

Embora possa ser difícil aceitar a gravidade do caso, internar o alcoólatra em uma clínica para tratamento de alcoolismo é uma das poucas maneiras de se obter sucesso terapêutico.

Busque um psiquiatra de sua confiança, e converse sobre a necessidade de internação.

Caso seja a melhor opção para o paciente, conte com o apoio da nossa equipe para encontrar uma clínica de internação para alcoólatra e converse com o doente sobre o assunto.

Na maioria dos casos, ele não irá aceitar com facilidade. Mas, com toda a ajuda profissional, a aceitação passa a acontecer, e isso viabiliza o tratamento.

Acompanhe de perto a evolução do quadro

Inúmeros estudos científicos já mostraram que a presença da família durante o tratamento do alcoolismo é fundamental para que se obtenham bons resultados.

Portanto, seja você um familiar ou ente querido, recomenda-se que acompanhe o dia a dia e toda a evolução do caso, especialmente enquanto houver a internação em clínica para alcoólatra.

Alguns locais permitem visitas de uma ou mais pessoas, o que viabiliza o acompanhamento ainda mais de perto.

Também, busque saber os boletins médicos diários, a previsão de alta, e saber quais tratamentos que estão sendo feitos.

Busque um tratamento para você

Enquanto quem você ama estiver no hospital ou internado em uma clínica de tratamento sob cuidados médicos, aproveite para se cuidar também!

Sabemos que o alcoolismo pode desestruturar a vida de quem está por perto, e por isso recomenda-se que o cuidador realize acompanhamento com psicólogo e psiquiatra.

Além disso, recomendamos outras maneiras de autocuidado:

  • Preze por uma alimentação saudável;
  • Pratique atividades físicas;
  • Busque um meio de obter fé;
  • Reveja seus amigos e familiares;

E assim por diante.

Prepare o “terreno” para a alta

Quando a alta estiver próxima, será necessário adequar o ambiente para receber o paciente.

Os cuidados devem incluir:

  • Tornar a casa confortável e um ambiente propício para a recuperação;
  • Retirar qualquer bebida alcoólica do local e outros objetos que remetam ao alcoolismo;
  • Deixar agendado um retorno médico;

E assim por diante.

Além disso, manter o ambiente livre de brigas discussões ou qualquer outro gatilho que possa incentivar o retorno ao alcoolismo.

Acompanhe de perto o retorno ao dia a dia

Apesar da alta, tenha em mente que a cura do alcoolismo ainda não aconteceu.

Será preciso que o paciente passe um tempo em sua casa, de repouso e utilizando-se dos meios disponíveis para a recuperação.

Após o tempo (que varia de caso a caso) necessário, o médico dará “alta” para que se retornem as atividades habituais, como trabalho, reuniões com amigos, e assim por diante.

Novamente, é extremamente importante a presença da família para evitar as recaídas – ou, para identificá-las precocemente. Isso evitará a reinternação, ou será um meio para perceber quando ela será necessária.

Mais importante que tudo é demonstrar apoio, amor, afeto e carinho ao indivíduo que está passando por fase de recuperação. Uma rede de apoio bem construída facilita o processo!

Também, incentive a busca por uma religião, trabalho voluntário ou qualquer outro meio de distração “saudável”, que faça com que o paciente perceba o real valor da vida.

Planeje o futuro, viagens e quaisquer outras coisas que possam incentivar o indivíduo a viver intensamente, longe do álcool e da ansiedade!

De maneira alguma deixe que os remédios acabem, que tenha bebida por perto ou mesmo que se faltem os compromissos médicos.

Além disso, lembre-se que você é o cuidador, mas que o autocuidado não deve ser abandonado!

Ajuda para Tratar um Alcoólatra com transtorno de ansiedade

Se você quer ajudar uma pessoa a abandonar o alcoolismo e vencer as crises de ansiedade, saiba que nós podemos te ajudar.

Nossos do Grupo Encontre Clínicas contamos com profissionais estão disponíveis 24 horas para oferecer orientação sobre tratamentos, internação, planos de saúde que cobrem tratamentos contra o alcoolismo e para oferecer todo o suporte que você e sua família precisam para vencer todos os problemas causados pelo alcoolismo.

Fale conosco pelo telefone (44) 99155-7195 ou pelo WhatsApp (11) 96262-2008 e vamos começar, juntos, a planejar um futuro melhor para todos que estão envolvidos nessa situação.

Compare listings

Comparar