Resgate 24 horas em todo território nacional. +55 44 99155-7195

Anfetaminas: Como agem no organismo e quais os seus efeitos?

anfetaminas como agem no organismo e quais os seus efeitos

As anfetaminas podem acabar com a vida de um adicto rapidamente. Entenda melhor sobre o que são anfetaminas, como agem no organismo e seus principais efeitos de longo prazo. Vamos lá!

O que são anfetaminas e como agem no organismo?

As anfetaminas são uma classe de substâncias estimulantes do sistema nervoso central (SNC) que afetam neurotransmissores, incluindo dopamina, norepinefrina e serotonina, no cérebro.

Elas são derivadas sinteticamente e frequentemente usadas como medicamentos para tratar condições como transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e narcolepsia, um distúrbio do sono.

Elas anfetaminas aumentam a liberação desses neurotransmissores, resultando em aumento da atividade cerebral, alerta e energia.

Além de suas aplicações medicinais, essas substâncias também são consumidas ilegalmente para fins recreativos ou de melhoria de desempenho, sendo conhecidas por nomes de rua como “speed” ou “anfetaminas”.

O uso não médico e o abuso de anfetaminas podem levar a problemas de saúde significativos e dependência.

Devido à sua natureza estimulante, as anfetaminas têm um alto potencial de abuso, e seu uso indevido pode levar a comportamentos arriscados, problemas cardiovasculares e mentais, bem como dependência física e psicológica.

Portanto, é crucial entender os riscos associados a essas substâncias e usá-las apenas sob supervisão médica estrita quando prescritas.

10 principais efeitos de longo prazo das anfetaminas

Danos cerebrais

Os danos cerebrais são um dos efeitos de longo prazo mais alarmantes das anfetaminas no organismo. O uso prolongado dessas substâncias estimulantes pode levar a alterações estruturais e funcionais no cérebro.

Estudos indicam que as anfetaminas podem prejudicar a comunicação entre os neurônios, afetando áreas cruciais relacionadas ao aprendizado, memória e controle emocional.

Além disso, elas podem aumentar o risco de doenças neurodegenerativas, como a doença de Parkinson, devido ao estresse oxidativo e à neuroinflamação crônica que causam.

Esses danos cerebrais podem resultar em déficits cognitivos permanentes, comprometendo a qualidade de vida e a capacidade de funcionar normalmente no dia a dia.

Portanto, é vital entender os riscos associados ao uso prolongado de anfetaminas e buscar ajuda médica para interromper o consumo e minimizar esses efeitos prejudiciais. 

Distúrbios do sono

Os distúrbios do sono são um dos efeitos debilitantes e persistentes das anfetaminas a longo prazo. O uso contínuo dessas substâncias pode interromper gravemente os padrões naturais de sono, levando a insônia crônica e dificuldade em adormecer.

Além disso, mesmo quando a pessoa consegue dormir, o sono pode ser fragmentado e superficial, resultando em um descanso inadequado.

Esse impacto negativo na qualidade do sono pode levar à fadiga constante, irritabilidade, dificuldade de concentração e comprometimento das habilidades cognitivas. A privação de sono crônica também está associada a uma série de problemas de saúde física e mental.

Portanto, os distúrbios do sono causados pelas anfetaminas podem ter um impacto significativo na qualidade de vida a longo prazo, sublinhando a importância de evitar o uso prolongado dessas substâncias.

Perda de apetite

A perda de apetite é um dos efeitos persistentes e preocupantes das anfetaminas a longo prazo. Essas substâncias estimulantes podem suprimir o apetite de forma significativa, levando a uma ingestão calórica insuficiente e, consequentemente, à perda de peso.

A falta de nutrição adequada pode resultar em desnutrição, enfraquecimento do sistema imunológico e deficiências vitamínicas, afetando adversamente a saúde geral do indivíduo.

Além disso, a perda de apetite prolongada pode levar a problemas gastrointestinais, fraqueza muscular e dificuldades no funcionamento diário.

Esse efeito prejudicial das anfetaminas destaca a importância de buscar ajuda médica e apoio para interromper o uso dessas substâncias, preservando a saúde física e emocional a longo prazo. 

Problemas cardiovasculares

Os problemas cardiovasculares representam uma ameaça grave e de longo prazo associada ao uso prolongado de anfetaminas.

Essas substâncias estimulantes aumentam a frequência cardíaca e a pressão arterial, colocando uma tensão significativa no sistema cardiovascular. Com o tempo, isso pode levar ao desenvolvimento de hipertensão, arritmias cardíacas e danos nas artérias.

Além disso, as anfetaminas também podem causar inflamação nas paredes dos vasos sanguíneos, aumentando o risco de aterosclerose e, consequentemente, de doença cardíaca coronária.

Esses problemas cardiovasculares podem ter consequências graves, incluindo ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais, colocando a vida do indivíduo em risco.

Portanto, é essencial compreender os perigos das anfetaminas e procurar ajuda para interromper seu uso, prevenindo assim esses efeitos prejudiciais no sistema cardiovascular. 

Depressão

A depressão é um dos efeitos de longo prazo profundamente perturbadores do uso prolongado de anfetaminas. Embora essas substâncias sejam inicialmente consumidas para aumentar o ânimo e a energia, a exposição crônica pode levar a desequilíbrios neuroquímicos no cérebro.

Isso pode resultar em uma queda acentuada nos níveis de dopamina e serotonina, neurotransmissores essenciais para o equilíbrio emocional.

Como resultado, os indivíduos podem experimentar sentimentos persistentes de tristeza, desesperança e falta de interesse nas atividades diárias.

A depressão causada pelas anfetaminas não apenas prejudica o bem-estar emocional, mas também afeta adversamente a vida social, profissional e pessoal. Buscar apoio médico e psicológico é essencial para superar essa condição debilitante e interromper o ciclo de uso das anfetaminas.

Paranoia

A paranoia é um dos efeitos debilitantes de longo prazo associados ao uso prolongado de anfetaminas. Essas substâncias estimulantes podem desencadear pensamentos irracionais e intensos de desconfiança e medo, mesmo na ausência de qualquer ameaça real.

Com o tempo, a paranoia crônica pode se instalar, levando a um estado de alerta constante, ansiedade extrema e isolamento social. Esses sentimentos podem resultar em comportamentos agressivos, relacionamentos prejudicados e dificuldades de interação social.

Ela também pode comprometer a qualidade de vida, tornando as interações diárias e a tomada de decisões extremamente desafiadoras.

Abordar a paranoia causada pelo uso prolongado de anfetaminas requer intervenções médicas e psicológicas especializadas para ajudar a reduzir a ansiedade, melhorar a percepção da realidade e oferecer apoio emocional ao indivíduo afetado.

Perturbações psicóticas

As perturbações psicóticas são efeitos sérios e de longo prazo das anfetaminas no organismo. O uso prolongado dessas substâncias pode desencadear sintomas psicóticos, como alucinações, delírios e pensamentos desorganizados.

Indivíduos que sofrem de perturbações psicóticas podem ter dificuldade em distinguir a realidade da fantasia, levando a comportamentos irracionais e desorganizados.

Esses sintomas podem prejudicar significativamente a funcionalidade diária e a qualidade de vida do indivíduo, afetando relacionamentos, trabalho e estabilidade emocional.

Além disso, as perturbações psicóticas também aumentam o risco de autolesões e comportamentos impulsivos.

É crucial buscar tratamento médico e terapêutico para gerenciar esses sintomas e proporcionar suporte adequado, visando mitigar o impacto devastador das perturbações psicóticas causadas pelo uso prolongado de anfetaminas.

Comportamento agressivo

O comportamento agressivo é um dos efeitos de longo prazo alarmantes do uso prolongado de anfetaminas. Essas substâncias estimulantes podem desencadear irritabilidade excessiva, hostilidade e impulsividade, levando a comportamentos agressivos físicos ou verbais.

A agressão crônica pode prejudicar relacionamentos pessoais, familiares e profissionais, causando conflitos interpessoais e isolamento social. Além disso, o comportamento agressivo pode resultar em problemas legais, colocando a segurança do indivíduo e dos outros em risco.

A agressividade prolongada também pode ter efeitos adversos na saúde mental, levando ao estresse constante e à deterioração do bem-estar emocional.

Portanto, é vital buscar ajuda profissional para interromper o uso de anfetaminas, abordando assim esse comportamento agressivo e trabalhando para restaurar relações saudáveis e um ambiente seguro. 

Compulsão

A compulsão é um dos efeitos debilitantes de longo prazo causados pelo uso prolongado de anfetaminas. Essas substâncias estimulantes podem levar a padrões de comportamento compulsivos, nos quais o indivíduo sente uma necessidade irresistível e irresistível de continuar usando as drogas, apesar dos sérios efeitos negativos.

Esse efeito pode dominar a vida do usuário, levando a um ciclo de uso contínuo, mesmo quando a pessoa está ciente dos danos à saúde física e mental.

O comportamento compulsivo muitas vezes leva a uma deterioração das relações pessoais, do desempenho acadêmico e profissional, e pode resultar em isolamento social.

Superar a compulsão associada ao uso prolongado de anfetaminas requer intervenções terapêuticas especializadas e apoio emocional para ajudar o indivíduo a quebrar esse ciclo vicioso. 

Dependência física e psicológica

A dependência física e psicológica é um dos efeitos devastadores e duradouros das anfetaminas no organismo.

O uso prolongado dessas substâncias pode levar à adaptação do corpo e do cérebro, resultando em tolerância e sintomas de abstinência intensos quando a droga não está presente.

Implica que o corpo se acostuma à presença constante da substância, enquanto a dependência psicológica envolve uma forte compulsão mental para usar as anfetaminas.

Essa dupla dependência torna extremamente difícil para os indivíduos interromperem o uso, mesmo quando enfrentam graves consequências físicas, mentais e sociais.

A ajuda profissional, incluindo terapias comportamentais e apoio psicológico, é crucial para superar essa dependência complexa e recuperar a qualidade de vida. Até a próxima!

Compare listings

Comparar