Resgate 24 horas em todo território nacional. +55 44 99155-7195

Como faço para internar um dependente químico?

Entenda como internar um dependente químico, muitas famílias tem duvida como proceder. Veja em nosso guia de clínicas para dependente químico onde encontrar

Muitas famílias no Brasil possuem a necessidade de internar um dependente químico, mas poucas sabem realmente como fazer isso.

E, querendo ou não, em um país onde o número de dependentes só cresce a cada ano, entender como funciona a internação, onde internar e dentre outras coisas é essencial.

Dessa forma, mesmo que você não tenha caso de dependência a álcool ou drogas na família, com o conhecimento, você pode ajudar outras pessoas que precisam desse apoio.

Até porque, convenhamos que esse não é um momento muito simples, sendo algo bem desgastante para quem precisa correr atrás sozinho.

Por fim, para você entender melhor, veja a seguir tudo sobre como internar um dependente químico, entendo como tudo isso realmente funciona.

Como faço para internar um dependente químico?

Saiba que o processo de internar um dependente químico com toda certeza depende de uma série de fatores.

Até porque, primeiramente, deve-se ficar atento ao tipo de internação que o dependente irá passar, existindo 3 tipos principais, que são: voluntária, involuntária e compulsória.

Calma que vamos falar mais sobre elas nos próximos tópicos.

No entanto, saiba que falamos sobre esse tipo de internação pode variar de acordo com esses tipos, mais da parte relacionada a como o dependente vai a clínica.

Por exemplo, na internação voluntária, você vai ver que o dependente químico vai a clínica por conta própria.

Ou seja, junto com algum familiar próximo, o dependente procura a clínica de reabilitação, e da entrada no processo de reabilitação.

Isso já ocorre de forma diferente na internação involuntária, onde o dependente já não consegue ter controle de si, e quem toma as atitudes são seus familiares.

Mas, saiba que independente de como o dependente químico chegou à clínica, saiba que lá todo o processo será orientado por especialistas, que vão fazer o diagnóstico, explicar como funcionará e dentre outros.

Portanto, saiba que ao chegar na clínica, você não terá problemas. Claro, para isso é muito importante sempre optar por uma clínica de qualidade.

Tipos de internação

Há três tipos de internação para dependentes químicos.

Então, como um dos pontos para entender como internar um dependente químico, é extremamente importante conhecer esses tipos de internação.

Confira:

Internação voluntária

Essa internação, como você já viu brevemente no tópico anterior, acontece quando o dependente químico busca ajuda por conta própria.

Nesse tipo de internação, o dependente começa a passar dos limites, colocando a vida dele e a de terceiros em risco, onde por conta própria, e junto com ajuda de familiares, ele se conscientiza de sua internação e aceita o processo médico.

Desse modo, o usuário assina um termo que mostra por escrito que ele está bem com a internação e o tratamento.

Atualmente, esse é o tipo de internação mais funcional, já que o dependente tem vontade de sair da sua condição.

Por fim, diversos especialistas afirmam que esse tipo de tratamento acaba sendo bem mais rápido e eficaz, principalmente porque a pessoa tem a vontade de sair daquela vida.

Internação involuntária para dependentes químicos

Você precisa saber que nesse tipo de internação, como o próprio nome já diz, o dependente vai contra sua vontade.

Dessa forma, nesse tipo de caso, o dependente está oferecendo um forte perigo a todos, e não consegue mais se governar.

O vício já tomou parte do seu corpo, onde se torna necessário a família entrar no processo.

Lembrando aqui, para solicitar a internação, um familiar deve necessariamente de primeiro grau.

Além disso, e talvez você não saiba, mas o Ministério Público do Estado precisa ficar ciente da internação em no máximo 72h.

Hoje a Lei nº 10.216/2001 já prevê esse tipo de internação, sendo algo até comum, principalmente em casos mais graves.

Infelizmente, muitas pessoas ainda desconhecem essa alternativa de como internar um dependente químico.

Tratamento com internação compulsória

Essa internação é determinada pela justiça e pela legislação em relação a dependentes químicos, com todo processo de internação do sujeito.

Quando a internação é decretada, o Juiz responsável leva em conta as condições da segurança e do estabelecimento dos pacientes e funcionários.

Por fim, você vai ver mais esse tipo de internação, para pessoas em situação de rua, ou sem familiares próximos.

Quem realiza a solicitação e afins é o próprio Estado.

Como trabalhar com dependentes químicos?

Os transtornos relacionados a substâncias são doenças crônicas e complexas que requerem tratamento prolongado e intensivo. O tipo de substância envolvida e a gravidade do vício ditarão o curso do tratamento.

Desse modo, além de entender como internar um dependente químico, é preciso saber lidar com esse tipo de vício, sabendo como trabalhar com ele, dentro e fora da internação.

O tratamento começa com a desintoxicação, por meio de medicamentos que reduzem os sintomas de abstinência enquanto uma substância deixa o sistema.

Vários tipos de terapia e aconselhamento também podem apoiar o tratamento, auxiliando a desprogramar comportamentos e circunstâncias relacionadas ao uso de drogas.

Um indivíduo, normalmente, embarca em um programa de reabilitação de 6 a 12 meses em uma instalação dedicada. Logo depois, eles podem viver em moradias supervisionadas enquanto se reajustam com o objetivo de gerenciar as finanças e encontrar emprego.

Alguns medicamentos também podem servir para controlar os sintomas de abstinência prolongados e apoiar a sobriedade em algumas pessoas. Além de outras ferramentas, como:

  • Terapias de substituição de drogas e medicamentos mais recentes para reduzir os desejos (como metadona e buprenorfina para dependência de opiáceos);
  • Reposição de nicotina ou outros medicamentos para interromper o uso do tabaco;
  • Tratamento ambulatorial intensivo;
  • Aconselhamento matrimonial e familiar;
  • Cuidados residenciais;
  • Grupos de autoajuda;
  • Aconselhamento ambulatorial de curta duração;
  • Cuidados contínuos e prevenção de recaídas;
  • Programas especiais para veteranos com preocupações específicas.

Portanto, tanto durante o tratamento, como depois (principalmente os primeiros meses), é importante saber como trabalhar com aquele dependente, para evitar recaídas, e garantir uma recuperação eficaz;

Por fim, caso você tenha dúvida, aconselhamos sempre procurar ajuda de um profissional, para entender mais sobre aquela dependência.

Ao internar um dependente químico, acontece durante uma desintoxicação de álcool ou drogas?

Quando alguém é viciado em álcool ou drogas, muitas vezes precisará passar por um processo de desintoxicação (desintoxicação), como um primeiro passo importante na recuperação do vício.

A desintoxicação é baseada no princípio de que alguém que está fisicamente doente terá dificuldades para lidar com quaisquer problemas de saúde mental subjacentes.

Portanto, o objetivo da desintoxicação é abordar o lado físico de um vício como primeiro passo, para que os pacientes estejam preparados para lidar com as características psicológicas de seu vício, como parte de um programa intensivo de reabilitação de vícios.

O que é desintoxicação?

A desintoxicação é o processo pelo qual todos os vestígios de álcool e drogas são removidos do corpo, garantindo que uma pessoa esteja fisicamente estável e pronta para iniciar a terapia.

A dependência de álcool ou drogas faz com que os corpos das pessoas se acostumem a ter essas substâncias em seu sistema.

Quando essas substâncias são gradualmente reduzidas e removidas durante a desintoxicação, o cérebro terá que se ajustar à queda repentina desses produtos químicos. Isso normalmente faz com que as pessoas experimentem um conjunto de sintomas desagradáveis ​​conhecidos como ‘ sintomas de abstinência ‘.

O processo de desintoxicação visa minimizar o impacto negativo dos sintomas de abstinência e tornar a experiência o mais segura e confortável possível.

A forma mais eficaz de desintoxicação é aquela que é medicamente assistida e apoiada por especialistas treinados.

Isso geralmente acontece dentro de um centro ou instalação especializada em desintoxicação, sob os cuidados de médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde.

A tentativa de desintoxicação por conta própria raramente é bem-sucedida e é provável que as pessoas experimentem sintomas de abstinência desnecessários e fiquem desmotivadas por muitas tentativas fracassadas.

Como encontrar a melhor clínica para internar um dependente químico?

Se você está procurando como internar um dependente químico, um dos primeiros passos a serem feitos, é encontrar o lugar certo.

Até porque, você concorda que em uma clínica de qualidade, o tratamento pode ser bem mais eficaz, bem acompanhado, e potencialmente, trazer mais resultados?

Dessa forma, nós do Grupo Encontre Clínicas de Reabilitação, estamos dispostos a te ajudar a encontrar a melhor clínica mais próxima de você.

Ou seja, juntos nós vamos te ajudar a encontrar aquela opção adequada para o tratamento do dependente, com base no seu vício, na busca de ele conseguir o melhor tratamento.

Assim, se você não quer errar, e quer escolher pela melhor opção, entre em contato conosco agora mesmo.

Estamos 24 horas por dia, prontos para te atender!

5/5 - (2 votes)

Compare listings

Comparar