Resgate 24 horas em todo território nacional. +55 44 9155-7195

Misturar drogas faz mal?

Saiba o por que misturar drogas faz mal para o organismo, levam indivíduos à overdoses têm índices cada vez mais elevados no Mundo.

Acelerar, deprimir, perturbar o corpo e os sentidos, saiba o por que misturar drogas faz mal para o organismo e pode ser letal. Antes de se compreender os perigos que envolvem as substâncias psicoativas, é imprescindível que se conheça seus efeitos e o que acontece com o corpo e a mente no longo prazo. Se uma substância já faz mal, imagine misturar todas em conjunto. O preço a pagar no final é bem caro, e pode pesar na balança da vida.

Você é o que você come, já ouviu falar essa expressão? Se comer mal já influencia drasticamente em como seu corpo e mente funcionam, imagine só acelerá-lo de uma vez só liberando um monte de hormônios de prazer? Ou simplesmente deprimir fortemente o sistema nervoso central ao ponto de quase ter uma parada cardiorespiratória? E ficar alucinado, vendo e ouvindo coisas que sequer existem de modo a se passar por uma pessoa louca só por uma sensação de relaxamento? Além de ficar dias acordado em uma festa sentindo o coração pulsar conforme a música sem ao menos conseguir falar, pensar ou interagir de forma natural com as pessoas ao redor. 

Essas são as drogas e os efeitos das mesmas no organismo. Elas podem acelerar, desacelerar ou simplesmente bagunçar tudo. São apenas três categorias conhecidas. As drogas perturbadoras, estimulantes e depressoras. Quaisquer substâncias que apareçam, vão estar dentro de um desses contextos. Mas se o uso contínuo de algumas substâncias em específico sozinhas já adoecem o corpo, imagina um mix? Já falamos delas aqui no Blog do Encontre Clínicas, mas nunca falamos o porque tantas pessoas começam em uma droga e migram para outra, ou simplesmente usam todas de uma vez só em uma noite.

Usando uma droga para cortar o efeito da outra, uma combinação péssima 

Existe uma tabela períodica de drogas disponíveis na atualidade, mesmo com a pandemia do novo coronavírus e com o isolamento social, indivíduos sabem como fazer as misturas que dão “boas vibrações”, é usando uma droga para cortar o efeito da outra, uma combinação péssima. E fato é que tal feito acaba com o organismo, e se o procedimento é realizado periodicamente ou repetidas vezes, os malefícios são logarítmicos.

O álcool, é uma das drogas lícitas comum no Brasil, estima-se que o brasileiro tenha apreço por ela justamente por ser um país tropical e com hábitos de consumo já enraizados na população. Desta forma, é comum dizer que o álcool é a porta de entrada para as drogas, e de fato o é. Existe uma pesquisa que salienta que muitos que experimentam narcóticos pela primeira vez, o fazem sob efeito de álcool. 

Contudo ao longo, muitas pessoas que vão à festas acabam por não ficarem apenas no álcool e partem para outras substâncias progressivamente. Entretanto, por que misturar drogas faz mal para o organismo e pode ser letal em alguns casos? 

Tudo tem haver com o que citamos anteriormente, só existem três tipos de categorias de classificação das substâncias psicoativas. Imagine que se está deprimindo o organismo com certa substância, no caso o álcool, posteriormente é utilizada a cocaína. Em teoria, a droga corta o efeito do álcool, justamente porque é estimulante, o oposto de uma droga depressora. Todavia, a combinação da coca com o álcool é cocaetileno, um composto que permanece no sangue por várias horas a mais que ambos, e é extremamente prejudicial ao coração.

Outra combinação comum é a maconha com o álcool, novamente onde o álcool tem o papel principal. Pessoas que já estão alcoolizadas e topam “puxar um baseado” tendem a fazer a combinação perfeita para um mal-estar generalizado. Estar com o organismo deprimido e consequentemente perturbá-lo é a fórmula secreta para que muitas pessoas vão ao pronto socorro. Uma potencializa o efeito da outra, e a “brisa é longa”.

Álcool e benzodiazepínicos, é outra combinação letal. Nesta ocasião acontece que muitas das vezes, pessoas já estão sob o efeito alcoólico, estimulam o organismo com a cocaína e continuam a beber. Deste modo, para que passe a sensação de “batedeira e nóia” da coca, é comum que os usuários tomem esse tipo de medicação para deprimir o organismo. Entretanto, ainda há cocaetileno e pode ocorrer uma queda brusca de pressão, parada cardiorespiratória e overdose, levando a pessoa à morte rapidamente.

Misturas de drogas que levam indivíduos à overdoses têm índices cada vez mais elevados no Mundo

Em 2015 estima-se que 450 mil pessoas morreram em decorrência do abuso de drogas, já em 2017 houve um salto para 585 mil mortes na pesquisa da ONU relacionada ao consumo de substâncias psicoativas, o que ressalta a questão de que misturas de drogas que levam indivíduos à overdoses têm índices cada vez mais elevados no mundo.

Se o hábito de ir usando uma droga para cortar o efeito da outra, uma combinação péssima que desestabiliza o corpo, a continuação dessa prática reforça ainda mais a ideia do por que misturar drogas faz mal para o organismo e pode ser letal. Conforme citado anteriormente, especialmente em casos onde pessoas tendem a deprimir, acelerar e deprimir novamente, o corpo se desestabiliza e pode ter um choque.

Entretanto, como já explicamos em nossa página aqui no Grupo Encontre Clínicas sobre o aumento considerável do consumo de drogas no mundo e no Brasil, especialmente as estimulantes como crack e cocaína, torna propício para que se tenha um cenário de catástrofe cada vez maior na questão de saúde pública. 

Um país que já tem o hábito de beber por conta de suas raízes e que culturalmente tem elevado a demanda, além de ser rota do tráfico e um grande consumidor de coca e crack. Concomitantemente um dos países que mais consome tarja preta no mundo, onde vamos parar?

As autoridades de saúde pública estão fazendo a sua parte, pois sabem que misturar drogas faz mal, e a evolução da dependência química no quadro de saúde pública brasileiro e da piora da saúde mental. Com isso, as clínicas de recuperação têm um papel importante no tratamento de pessoas que, ao longo da vida, tiveram sorte de apenas desenvolverem um quadro de dependência, e têm a oportunidade de realizar o tratamento. Se você é uma dessas pessoas, entre em contato conosco.

Fale com nossos especialistas! Atendimento 24 horas. Tratamento para dependentes químicos.

Descubra como nossos consultores podem ajudar você ou seu ente querido a melhor melhor maneira para deixar o vício, conheça tratamento em uma clinica de recuperação. A avaliação por telefone exigirá apenas 5 a 10 minutos do seu tempo. Isso ajudará você a saber sua posição em termos de opções de reabilitação em sua área local. Saiba mais

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é atendimento_24_horas.svg

Compare listings

Comparar