Resgate 24 horas em todo território nacional. +55 44 9155-7195

Internação para alcoólatras: Qual o tempo mínimo?

Fique por dentro sobre qual o tempo mínimo de internação para alcoólatras, Quanto maior o nível de dependência química, maior o tempo de tratamento

Quando um alcoólatra reconhece a necessidade de ser internado para tratamento ou quando uma família compreende que a internação é a melhor forma de fazer com que um viciado, seja em drogas ou em álcool, abandone o vício e volte a ter uma vida plena e saudável, é comum que surjam algumas dúvidas e preocupações e uma delas é em relação à tempo mínimo de internação para um alcoólatra.

Muitas vezes, a pessoa que mais se pergunta isso é justamente a que vai se submeter a internação.

A dúvida sobre quanto tempo é preciso ficar internada é motivada por diversos motivos honestos como o receio de perder o emprego ou o ano letivo, o medo de ficar distante do cônjuge e ter seu casamento prejudicado, o receio de ficar distante dos filhos ou dos pais e diversos outros, porém, também é razoável compreender que há, ainda que irracionalmente, o medo de ficar longe do álcool, ou da bebida, como alguns preferem nomear.

Para essas pessoas, que estão em fase de tomar a decisão da internação ou simplesmente aceita-la, ter algumas informações pode ajudar a reduzir a ansiedade em relação ao tempo de internação necessário para obtenção do controle sobre o vício.

Dar um tempo pode melhorar as relações

É natural que as pessoas não queiram ficar afastadas de seus cônjuges e familiares e que haja o receio de perder o laço ou ser substituído(a) por outra pessoa durante o tempo da internação, porém, não há razões para fundamentar esse pensamento.

Uma família, esposa ou marido que decide pela internação de alguém está demonstrando claramente o quanto se importa em tê-la novamente no seio familiar, vivendo a plenitude de uma vida digna e saudável.

Quando uma esposa, marido, pais ou filhos não têm interesse em manter o relacionamento com o alcoólatra, entendem, ainda que de forma completamente inconsciente, o abandono como um método mais eficiente e eficaz, e dificilmente se envolvem na busca por uma clínica ou instituição para ajudar quem está vivenciando o vício.

Além disso, a convivência com um alcoólatra pode ser muito difícil e envolver violência física e verbal, além de um constante sentimento de culpa, ressentimento e mágoa e o afastamento temporário do lar que é proporcionado pela internação é uma boa oportunidade para que a família do alcoólatra tenha um tempo para se reequilibrar, diminuir o estresse do ambiente e muitas vezes, buscar apoio terapêutico para poder auxiliar o alcoólatra no seu tratamento e no seu retorno para casa.

É natural que, durante o convívio com dependentes de álcool e/ou outras drogas, a relação se deteriore e o alcoólatra passe a ser visto como alguém egoísta, que não se importa em causar problemas e sofrimento para sua família. No entanto, quando o dependente opta ou aceita a internação para tratamento, seus familiares compreendem que é do interesse dele ser uma pessoa melhor e mudar sua imagem e comportamento diante das pessoas amadas.

Essa decisão é capaz de salvar casamentos, restabelecer o respeito dentro da família, aproximar pais e filhos e recuperar relações que estavam fadadas ao término.

Se o receio de perder espaço na família for o que conduz à dúvida sobre qual é o menor tempo possível de internação para um alcoólatra, a resposta nem se faz necessária, pois não importa quanto tempo for preciso ficar internado(a) para recuperação, a família que participa desse processo não abandonará uma pessoa amada por causa do tempo de espera.

Tempo para Desintoxicação

O período mínimo para o início de uma desintoxicação e o desaparecimento de sintomas físicos do alcoolismo é de 15 dias.

Isso não significa que 15 dias seja tempo o bastante para o alcoólatra sair da clínica, muito pelo contrário.

Esses 15 primeiros dias são um período de adaptação e podem ser considerados os mais difíceis, visto que há um misto de sensações, sentimentos e necessidades físicas em adaptação.

O dependente, nesses primeiros 15 dias, ainda está compreendendo que está fora de casa, convivendo com pessoas que não conhece, com uma nova rotina, nova alimentação, utilizando medicações e, principalmente, compreendendo que ficará sem a bebida, ou sem o álcool.

Durante esse período, o corpo costuma apresentar fortes sinais da dependência química, mas depois de 15 dias, o organismo começa a demonstrar que está mais forte e resistente.

É natural que haja ganho de peso, melhora do sono, do apetite, interesse por atividades físicas ou manuais e em diversos casos, haja uma reconexão espiritual com a fé praticada pelo paciente.

Sair da clínica de reabilitação em menos de 15 dias e não ter ido para a clínica são, basicamente, a mesma coisa e por isso, é altamente recomendável que, tanto o alcoólatra quanto sua família tenham em mente que o tempo mínimo para “recuperação” de alcoolismo nunca será menor que duas semanas.

Alcoolismo pode estar relacionado a outras doenças

O alcoolismo é uma doença e pode ser a única presente na vida de uma pessoa.

Por outro lado, é bastante comum que o vício tenha se desenvolvido através de outras doenças como depressão, síndrome do pânico, síndrome do estresse pós-traumático, transtorno de ansiedade generalizada, bipolaridade, esquizofrenia, entre outras doenças mentais, muito estigmatizadas e por isso, pouco tratadas da forma correta.

No caso de pacientes que possuem doenças como essas, não basta realizar a desintoxicação química, pois é comum que o dependente esteja fragilizado e sem condições emocionais para lidar com os sintomas das doenças.

Em uma crise de pânico ou de ansiedade, é muito provável que o alcoólatra, mesmo que inicialmente desintoxicado, recorra ao álcool para sentir alívio dos sintomas físicos e emocionais causados pela doença.

Doenças como essas, que exigem tratamento psiquiátrico para controle, geralmente tem em seu tratamento medicamentos que podem demorar até 45 dias para iniciar seus efeitos.

Além disso, é altamente recomendável que os pacientes façam acompanhamento psicológico e terapêutico para compreender melhor a doença e saber diferenciar o que causa cada tipo de reação no seu corpo e nas suas emoções.

Conseguir alcançar a compreensão sobre o que é uma crise de ansiedade e como aliviá-la pode gerar grande alívio e diminuir a necessidade emocional do uso do álcool.

O mesmo vale para síndrome do pânico, depressão e outras doenças que podem ser tratadas e minimizadas com o uso de medicamentos e terapias.

Nesses casos, o mínimo de tempo que um alcoólatra precisará ficar internado é de cerca de 45 dias, tempo necessário para o início da desintoxicação, para o início do efeito das medicações e para que sejam feitas algumas sessões de terapia, capazes de auxiliar o paciente a voltar para casa com segurança e controle sobre suas sensações e sintomas.

Nesse tempo, o paciente terá melhora física significativa, pois estará tendo uma rotina muito mais saudável do que tinha quando em contato com o álcool.

É comum que haja melhora em unhas, cabelos, pele, dentes, sono, apetite, humor, disposição, concentração e em diversos outros aspectos.

Além disso, depois dos primeiros 15 dias, é natural que o paciente desenvolva relações de amizade e companheirismo e que esse sentimento faça com que as más sensações relacionadas ao vício comecem a diminuir, reconstruindo uma personalidade social, que frequentemente se afasta dos alcoólatras.

Quanto maior o nível de dependência, maior o tempo de tratamento

Por último, mas não menos importante, é necessário esclarecer que algumas pessoas possuem vícios em duas ou mais substâncias e, nesses casos, é natural que haja maior resistência ao tratamento e que a desintoxicação seja mais lenta.

Para esses casos, não é possível dizer que 15 ou 45 dias serão o tempo mínimo para que o dependente retorne para casa, até porque, se o alcoólatra estiver livre do álcool, mas utilizar outro tipo de droga, ficará, imediatamente, muito mais vulnerável para o retorno ao alcoolismo.

Tempo Indicado para Tratamento de Alcoolismo

Há um consenso entre os profissionais consultados pela equipe do Encontre Clínicas sobre o tempo indicado para tratamento do alcoolismo, mas isso não significa que todos os alcoólatras precisarão ficar esse tempo internados.

O tempo médio de internação para tratamento do alcoolismo é de 6 meses.

Durante esse período, com a assistência de profissionais como psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, terapeutas e nutricionistas, é realizado o processo de desintoxicação, as medicações para tratamento de outras doenças fazem efeito, o organismo se recupera parcialmente dos danos causados pela dependência, a terapia auxilia a ressignificar todos os acontecimentos que desencadearam o vício, as relações familiares vão se restabelecendo e todas as situações vão se organizando de forma que o alcoólatra possa sair da clínica e recuperar sua vida, com controle sobre sua dependência e com sua saúde restabelecida.

A Equipe Encontre Clínicas é especializada em clinicas de recuperação para alcoólatras e dependentes químicos e está constantemente trazendo informações atualizadas sobre dependência química, tratamento, apoio para familiares e terapias capazes de auxiliar pessoas a recuperarem sua saúde, dignidade e vida em sociedade.

Fale com nossos especialistas! Atendimento 24 horas. Obtenha ajuda sobre internação para alcoólatras?.

Descubra como nossos consultores podem ajudar você ou seu ente querido a selecionar um tratamento de reabilitação adequado. A avaliação por telefone exigirá apenas 5 a 10 minutos do seu tempo. Isso ajudará você a saber sua posição em termos de opções de reabilitação em sua área local. 

Compare listings

Comparar