Resgate 24 horas em todo território nacional. +55 44 9155-7195

Dependência química durante o isolamento social em tempos de COVID

Como lidar com a dependência química durante o isolamento social em tempos de COVID? Obtenha suporte 24 horas, Saiba mais !!!

Não tá fácil para ninguém lidar com a pandemia do novo coronavírus, existem pessoas doentes por justamente não se adaptarem a novas rotinas, mas e você, como está lidando com a dependência química durante o isolamento social em tempos de COVID? Conhece algum familiar ou amigo que sofre da dependência química e que no isolamento social a doença avançou?

É sobre isso que iremos falar hoje, nós sabemos que apesar de tristes estatísticas, as pessoas têm aumentado significativamente o consumo de álcool e de entorpecentes ilícitos. O ano de 2020 foi um marco para o Brasil já que nós ultrapassamos os EUA e nos tornamos o maior consumidor de cocaína do mundo.

Sendo assim, com o aumento no número de consumidores de drogas sintéticas, com a rota do tráfico cruzando o país até chegar aos portos e com o isolamento social como medida de contenção ao avanço do coronavírus, o número de pessoas que estavam limpas em 2020 caiu e, em contrapartida, o aumento do consumo de drogas durante o isolamento simplesmente explodiu.

Por isso é importante salientar que independente de estar acompanhado ou não, pessoas que são dependentes químicas têm como princípio básico recorrer a substância em momentos de dificuldade.

Por isso é importante que usuários de drogas estejam lidando com a dependência química durante o isolamento social em tempos de COVID. Especialmente quando a questão é não deixar a doença aflorar e progredir.

Desde 2001 a OMS decretou que a dependência de narcóticos é um tipo de doença caracterizada por ser um transtorno mental. Ou seja, é uma doença e como qualquer um tem que ser diagnosticada e tratada. Entretanto, o transtorno do comportamento adictivo aliado ao consumo de substâncias psicoativas é simplesmente difícil de tratar.

Ao contrário de uma doença como a cefaléia – dor de cabeça – por exemplo, em que você toma uma medicação e a partir disso sana o problema, a dependência química não funciona da mesma maneira.

Para que um usuário de drogas viva a vida livre das substâncias psicoativas, existem um conjunto de medidas que ele deve tomar para que se vá transformando, aos poucos é claro, os pensamentos, sentimentos e posteriormente atitudes.

A mudança ocorre de dentro pra fora. E os medicamentos utilizados e prescritos por médicos são em casos de auxílio ao processo de desintoxicação e no tratamento de comorbidades adquiridas durante o modo da evolução da doença. Criar meios de fazer com que o pensamento repetitivo na substância se esvai é dar uma oportunidade da pessoa pensar logicamente, e por fim superar o vício.

É exatamente aí que é esse artigo entra, como pessoas que são usuários de drogas – independentemente se estão em tratamento ou não – estão lidando com a dependência química durante o isolamento social? Como estar isolado em kitnets, residências ou apartamentos não gera a tão famosa ansiedade que faz com que os pacientes em recuperação se mantenham limpos?

O Encontre Clínicas traz neste artigo algumas orientações para que, se você é dependente químico, mantenha o tratamento  independentemente da onde você está. Mesmo se morar em um lugar extremamente pequeno, traremos os preceitos básicos para que você continue firme na luta contra as drogas.

“Mente Desocupada Oficina do Diabo”

Aposto que você já ouviu falar nesse ditado, ele é antigo mas ao mesmo tempo famoso. Conjuntamente é extremamente importante, pois justamente manter a cabeça ativa é um meio eficaz de estar mentalmente saudável e evitar desenvolver doenças como depressão, transtorno de ansiedade generalizada e até mesmo bipolaridade.

Claro que existem indivíduos que têm com sua carga genética já a predisposição para o desenvolvimento de transtornos mentais, mas mesmo assim, manter o cérebro ativo, comer bem e praticar atividades físicas posterga o aparecimento precoce dessas doenças congênitas.

Sendo assim, o Encontre Clínicas sugere a você que é dependente químico independentemente se está em recuperação ou não, dicas básicas para que se evite o processo de ansiedade no isolamento social. Deste jeito, evitam-se que mantendo a mente ocupada e saudável fica mais difícil cair nas armadilhas da doença e recair na substância de escolha.

  1. Pessoas já Diagnosticadas e em tratamento da Dependência Química

Se você é dependente químico e já recorreu ao tratamento, tem um diagnóstico da mesma e toma os devidos cuidados e medicações, fica mais fácil de ler esse texto e compreender o que estamos propondo. Se você mora sozinho, é interessante independentemente do tamanho da sua casa, dividir os dias da semana e ocupá-los com processos produtivos.

Criar uma rotina satisfatória e saudável é importante, justamente para quebrar a ociosidade em tempos de pandemia. Divida a sua semana e a partir disso divida o seu dia-a-dia em atividades de lazer, responsabilidade, higiene e bem estar.

Ao mesmo tempo, tenha pelo menos um dia na semana onde você pode extravasar, tirar um tempo para você e ficar “relax”. Tire esse dia para comer uma guloseima, assistir a séries e filmes e não ter compromisso com nada.

  1. Pessoas que ainda utilizam da substância mas têm a intenção de parar

Parar de usar drogas é difícil. Porque escolher parar de usar uma substância se você pode esquecer dos problemas de uma vez só já no primeiro gole ou na primeira dose? Então, além de ser complicado é necessário justamente para poder manter-se vivo.

As drogas e o álcool tem um potencial destrutivo imensurável. Os danos podem ser irreparáveis e continuar lidando com a dependência química durante o isolamento social em tempos de COVID é um desafio maior ainda. Portanto, é necessário que antes de você começar a fazer o mesmo procedimento acima, tente entrar em contato com um médico ou até mesmo com um hospital.

Para poder criar uma rotina para você e para que essa explosão de sentimentos não se sobressaia em dar início a um ciclo de USO, é necessário que você entre em contato com um médico. É interessante que você busque cuidar da mente primeiramente, para depois você se ocupar. Caso você consiga uma medicação que lhe ajude na baixa da ansiedade, vá para volte a leitura para o primeiro tópico e faça o que tem que ser feito.

Pensamentos Repetitivos de Uso

Como autor deste texto, conheço bem os procedimentos que envolvem a dependência química, aliás sou um dependente químico em recuperação há um tempo já e sei o quão impossível é conter a vontade de usar. Antes mesmo de começar um tratamento adequado eu já tinha feito de tudo para poder parar de usar.

Fui a igrejas católicas e evangélicas, terreiro de umbanda e tomei passe, frequentei o espiritismo, não desgrudava dos meus amigos, quase não saía de casa. Pintava livros de colorir para adultos, jogava videogame, assistia Netflix, trabalhava e fazia horas extras… Tudo para poder ocupar meu tempo e não usar. E adivinha? eu sempre recaía!

Não importava o que eu fizesse, eu estava usando novamente. Pois os pensamentos repetitivos no uso da substância sempre se sobressaem. Depois da minha primeira internação que eu fui realmente conhecer a verdade nua e crua sobre a dependência química.

Eu estava tentando realizar um auto-tratamento da doença sozinho. E para efeito de comparação é a mesma coisa que tentar conter um leão em uma jaula feita de plástico bem fininho, ou seja, nem precisa falar mais nada.

A dependência química é de difícil tratamento, ela envolve várias coisas, e ao ficar sem a substância o organismo vai pedir, o cérebro vai querer que você as use novamente porque ele quer a sensação de prazer. Ele é programado para guardar o que é bom e esquecer o que é ruim. Por isso é importante passar com um psiquiatra e ter apoio medicamentoso. E caso não seja o suficiente, procure a clínica de recuperação.

Sofrer pelo Amanhã é um Alerta de Recaída

Existe um dito que tanto o budismo como o narcóticos anônimos sempre postulam em suas cartilhas e ao mesmo tempo sempre ressaltam em reuniões. “Viva o hoje, esqueça o amanhã, viva só por hoje.” As pessoas estão tão “pré-ocupadas” que elas se ocupam antes mesmo das coisas se acontecerem.

Dispor de energia prevendo o que vai acontecer amanhã é criar ansiedade e ao fazer isso você cria ansiedade, um sentimento precursor da recaída comportamental e da recaída na substância. Portanto, para continuar lidando com a dependência química durante o isolamento social em tempos de COVID, viva o agora, não sofra pelo amanhã, afinal o amanhã a Deus pertence.

Compare listings

Comparar