Resgate 24 horas em todo território nacional. +55 44 9155-7195

Qual é a pior droga e qual o efeito no corpo e na mente?

Entenda qual é a pior droga, e o que causa na mente e no corpo, e onde encontrar mais perto de você tratamento para dependentes químicos, Saiba mais.

Tanto usuários de drogas quanto pessoas próximas a eles costumam, frequentemente, se perguntar sobre qual é a pior droga e qual o efeito que ela pode produzir no corpo e na mente das pessoas.

Essa pergunta é ainda mais comum entre familiares de dependentes químicos que não assumem o vício.

É comum que a família passe a investigar o assunto para tentar entender o que está acontecendo na vida do dependente e encontrar uma forma de ajuda-lo e por isso a preocupação sobre o assunto.

Perguntas comuns são:

·         Qual droga a pessoa está usando?

·         Quanto tempo demora para passar o efeito?

·         Tem perigo de ter uma overdose?

·         Quanto tempo dá para aguentar sem usar?

As respostas variam, tanto de droga para droga quanto de pessoa para pessoa.

O tempo de dependência, a situação mental do usuário, o meio em que ele vive e outros fatores podem influenciar nas respostas, mas, considerando apenas os tipos de drogas, podemos dizer quais são as mais perigosas e que deterioram mais rapidamente a saúde do usuário e certamente, no topo do perigo ao corpo e à mente dos usuários, está o Crack.

Crack – O que é e por que é considerada a pior droga

O crack é um subproduto da cocaína e pode viciar no primeiro uso!

De forma simplificada e bem direta, pode-se dizer que o crack é o “lixo” que sai da cocaína. O resíduo. Aquilo que é tão ruim, que não serve nem para consumo de quem já é viciado.

Por ser uma droga sem nenhum tipo de “qualidade”, é vendido por valores muito baixos, o que não significa que, na prática, seja, de fato, uma droga barata.

Usuários de maconha, cocaína e outras drogas costumam consumir drogas uma certa quantia de vezes na semana ou no dia, porém, quem usa crack não possui nenhuma espécie de controle e muitas vezes, gasta mais dinheiro no consumo do que pessoas que usam drogas mais caras, como a cocaína, pelo fato de que fazem o uso da droga muito mais vezes, visto que o efeito é mais curto.

Além disso, com o passar do tempo, é comum que o usuário de drogas crie resistência, ou tolerância, ao crack, tendo que consumir doses cada vez maiores ter os mesmos efeitos que tinha antes, o que pode fazer com que o usuário pratique cada vez mais crimes e se exponha a riscos cada vez maiores para poder continuar se drogando.

O crack não é uma droga de entrada, ou seja, é muito raro uma pessoa que nunca usou drogas começar a usar crack, pelo fato de que é uma droga que não oferece nenhum status, não é consumida como diversão e lazer como outras drogas e, geralmente, não circula em rodas de amigos.

O crack é considerado “fim de carreira” até mesmo entre dependentes químicos e o motivo é que, geralmente, é a última droga consumida na linha da dependência.

Usuários de crack geralmente iniciaram sua jornada de dependência no álcool, na maconha ou na cocaína e, conforme tiveram suas vidas prejudicadas, em campos do trabalho e relacionamento, foram aumentando seus níveis de dependência, de afastamento social e cedendo, cada vez mais, aos efeitos de droga.

Como saber se meu filho, filha, marido, esposa, pai ou mãe está usando crack?

Saber se uma pessoa está usando crack não é difícil, mas antes de tudo, é importante saber o histórico da pessoa.

Como dito acima, dificilmente uma pessoa que nunca usou drogas passará a consumir crack.

Em todo caso, o uso do crack é um dos mais fáceis de perceber, principalmente porque a dependência do crack consegue fazer com que a pessoa abandone qualquer coisa que não esteja relacionada ao vício.

O viciado em crack dificilmente consegue se manter em um emprego, seja ele qual for e é comum que comece a manter o vício praticando furtos dentro da própria casa.

Dinheiro, cartão de crédito, utensílios domésticos, eletrônicos, joias, roupas e calçados são algumas das coisas que podem começar a “sumir” de dentro de casa e sinalizar que há um processo de dependência em estágio avançado acontecendo com alguém da família.

Também é comum que o dependente de crack fique dias sem aparecer em casa e que seja encontrado próximo a locais que vendem as drogas.

Não é incomum que usuários de crack se envolvam com prostituição, furtos e roubos, pois a necessidade do uso frequente da droga faz com que o dependente não consiga trabalhar formalmente, o que dificulta que ele consiga obter dinheiro de forma lícita para sustentar o seu vício.

Efeitos do Vício em Crack

Além do afastamento da família, dos amigos e do trabalho, o crack causa efeitos físicos e mentais fortíssimos nos seus dependentes.

Perda de apetite e falta de sono fazem com que, rapidamente, o organismo do dependente seja deteriorado através de doenças cardiovasculares, respiratórias e no fígado.

Paranoias e alucinações são comuns na vida de usuários de crack e podem conduzir o dependente à criminalidade e à violência contra os outros e contra si mesmo.

A saúde mental de dependentes de crack é rapidamente danificada e pode chegar a níveis irreversíveis, com doenças no cérebro e transtornos psiquiátricos como a depressão, a ansiedade, a esquizofrenia e muitos outros.

Para evitar que os danos sejam irreparáveis, a internação em clínica para tratamento é necessária e considerada um dos pouquíssimos recursos capazes de salvar a vida do adicto.

Internação para Tratamento de Vício em Crack

A internação em clínica de tratamento para dependentes em crack é uma das únicas formas eficazes de auxiliar o adicto a recuperar sua vida.

Infelizmente, o crack não é uma droga que permite que o dependente fique consciente por tempo o bastante para decidir sozinho que se internar.

A fissura (desejo incontrolável de consumir a droga) faz com que a pessoa rechace qualquer sugestão de ficar internada em uma clínica.

Também não é comum que o dependente de crack tenha recursos financeiros capazes de financiar a própria internação.

A família, nesse ponto, é essencial para que o dependente em crack possa recuperar sua vida e, geralmente, a internação é feita de forma compulsória, ou seja, sem a anuência do usuário, isso porque, infelizmente, o dependente de crack quase nunca aceita a internação, visto que a necessidade do uso constante da droga faz com que esse seja o seu único, ou mais intenso, interesse.

Como é a Internação de um Viciado em Crack?

A internação de viciados em crack geralmente é feita em clínica com segurança total, porque não é incomum que o dependente tente realizar fugas, especialmente no período em que ainda está sofrendo com as crises de abstinência.

Para garantir a tranquilidade da família, as clínicas que recebem viciados em crack precisam ter uma estrutura fechada, com profissionais capazes de proteger a integridade física do dependente e de outras pessoas que também estão internadas no espaço, a fim de evitar que o adicto cometa violências a fim de conseguir sair da internação.

O que fazer quando a pessoa não aceita se internar?

Infelizmente, a dependência em crack pode levar o indivíduo a fazer coisas que ele jamais faria se não estivesse na condição de adicção e por isso, a família deve ter em mente que nem sempre pode contar com a compreensão do viciado quando deseja ajudá-lo a se curar.

Quando o assunto da internação para tratamento surge dentro de casa, é comum que o dependente de crack fuja, agrida familiares, ameace ou faça jogos psicológicos tentando fazer com que as pessoas não tenham coragem de interna-lo, seja por dó, culpa ou medo, no entanto, é de suma importância que a família do dependente em crack entenda que ao interná-lo, está fazendo uma tentativa de salvar sua vida e devolver a ele sua dignidade e saúde.

É comum que o dependente tente fazer com que a família se sinta mal pela decisão da internação, como se estivessem agindo de forma traiçoeira e cruel.

De forma alguma, no entanto, a família deve se sentir assim.

Da mesma forma que uma mãe leva um bebê para tomar vacina sabendo que será doloroso, mas que o objetivo é o seu bem, uma família deve ter em mente que a internação é a única maneira de salvar um dependente de crack, do contrário, estará compactuando com a decisão do usuário de encerrar sua vida da pior forma possível, distante da própria dignidade, dos próprios sonhos e da própria família.

Fique por dentro: Internação Involuntária como Proceder

Ajuda para Conseguir Internação de Viciado em Crack

Se você precisa de ajuda para internar compulsoriamente um dependente de crack, entre em contato com a nossa equipe.

Aqui no Encontre Clínicas você será orientado sobre onde e como internar seu familiar, quais planos de saúde podem oferecer o custeamento da internação, qual o procedimento legal para internar o dependente e poderá esclarecer todas as dúvidas relacionadas ao tratamento de dependência em crack.

Fale conosco pelo telefone (44) 99155-7195 ou pelo WhatsApp (11) 96262-2008 e solicite mais informações. Estamos aqui para ajudar você e sua família.

Compare listings

Comparar